21.3.06

Soltaram amarras...


... e nunca mais voltaram.


... outros saíram à pressa.


...alguns foram ficando.

5 Comments:

Anonymous CC said...

"Hora"

Sinto que hoje novamente embarco
Para as grandes aventuras,
Passam no ar palavras obscuras
E o meu desejo canta --- por isso marco
Nos meus sentidos a imagem desta hora.

Sonoro e profundo
Aquele mundo
Que eu sonhara e perdera
Espera
O peso dos meus gestos.

E dormem mil gestos nos meus dedos.

Desligadas dos círculos funestos
Das mentiras alheias,
Finalmente solitárias,
As minhas mãos estão cheias
De expectativa e de segredos
Como os negros arvoredos
Que baloiçam na noite murmurando.

Ao longe por mim oiço chamando
A voz das coisas que eu sei amar.

E de novo caminho para o mar.

Sophia de Mello Breyner

21/3/06 12:03 da tarde  
Blogger jcpac said...

Obrigado CC pelo lindo poema neste dia dedicado a quem vive a arte de escrever.

21/3/06 1:16 da tarde  
Anonymous Nocas said...

www.estavaipobloco.blogspot.com

visitem, linkem, e divirtam-se!!!

21/3/06 5:15 da tarde  
Blogger Sinapse said...

Gostei dos simbolismos!








(e agora vou checkar o blog da Nocas)

21/3/06 10:44 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Enjoyed a lot! »

24/4/07 11:22 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home