26.5.06

Estigma


Filhos dum deus selvagem e secreto
E cobertos de lama, caminhamos
Por cidades,
Por nuvens
E desertos.
Ao vento semeamos o que os homens não querem.
Ao vento arremessamos as verdades que doem
E as palavras que ferem.
Da noite que nos gera, e nós amamos,
Só os astros trazemos.
A treva ficou onde
Todos guardamos a certeza oculta
Do que nós não dizemos,
Mas que somos.

Ary dos Santos

4 Comments:

Blogger TR said...

JC, só por curiosidade: "Estigma" é o título do poema?

27/5/06 1:03 da manhã  
Blogger jc said...

É tr.

28/5/06 2:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»

21/7/06 12:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Keep up the good work » » »

25/4/07 11:16 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home